Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Heterothripidae do Brasil

 

Esta família é restrita do Novo Mundo e inclui atualmente 4 gêneros e aproximadamente 90 espécies. Todos estes gêneros possuem representantes no país e cerca de 35% das espécies deste grupo foram originalmente descritas do Brasil. Com a exceção de Aulacothrips, que é ectoparasitas de cigarrinhas, todos os demais membros de Heterothripidae se alimentam exclusivamente em flores.

 

Heterothrips é o maior gênero, e está amplamente distribuído desde o nordeste dos EUA até o sul da Argentina. Entretanto, muitas das 76 espécies incluídas nesse grupo são conhecidas apenas de poucos espécimens e com informações biológica limitada. O gênero Lenkothrips é restrito da América do Sul e inclui cinco espécies. As espécies destes dois gêneros provavelmente possuem um alto grau de especificidade, e frequentemente estão associadas às plantas das famílias Fabaceae, Myrtaceae, Malpighiaceae and Solanaceae. O gênero Scutothrips está representando no Brasil apenas por Scutothrips nudus, que tem sido encontrada em flores de diversas espécies da família Malpighiaceae. Aulacothrips compreende atualmente cinco espécies, quarto conhecida apenas do Brasil e uma da Colômbia. Os tripes deste grupo são os únicos Thysanoptera ectoparasitas, se alimentando em cigarrinhas de hábito gregário atendidas por formigas.

 

Os adultos de Heterothripidae possuem antennas com 9 segmentos, e a área sensorial dos antenômeros III & IV é formada por uma banda porosa contínua ao redor de cada segmento. Em Heterothrips and Scutothrips esta área sensorial é constituída por uma banda simples no ápice do segmento, enquanto que em Aulacothrips e Lenkothrips esta banda é sinuosa e pode alcançar a base do segmento. As relações de parentesco dos gêneros de Heterothripidae ainda é obscura, mas é provável que Scutothrips e Lenkothrips não formem grupos naturais e que Aulacothrips seja grupo irmão dos demais representantes da família.

 

Clique aqui para conhecer as espécies registradas para o Brasil.

Clique aqui para identificar as principais espécies registradas para o Brasil.

 

Referências sugeridas:

Bailey SF & Cott HE (1954) A review of the genus Heterothrips Hood (Thysanoptera: Heterothripidae) in North America, with descriptions of two new species. Annals of the entomological Society of America 47: 614-635.

Cavalleri A, Kaminski LA & Mendonça Jr. MS (2010) Ectoparasitism in Aulacothrips (Thysanoptera: Heterothripidae) revisited: host diversity on honeydew-producing Hemiptera and description of a new species. Zoologischer Anzeiger 249: 209–221.

Cavalleri A, Kaminski LA & Mendonça MS (2012) A new ectoparasitic Aulacothrips from Amazon rainforest and the significance of variation in antennal sensoria (Thysanoptera: Heterothripidae). Zootaxa 3438: 62–68.

Cavalleri A & Kaminski LA (2014) Two new ectoparasitic species of Aulacothrips Hood, 1952 (Thysanoptera: Heterothripidae) associated with ant-tended treehoppers (Hemiptera). Systematic Parasitology 89(3): 271–278.

Cavalleri A & Mound LA (2014) The neotropical flower-living genus Lenkothrips (Thysanoptera, Heterothripidae): three new species and an identification key. Zootaxa 3814: 581–590.

De Borbón CM (2010) The Heterothrips species of Argentina, with two new species and biological notes (Thysanoptera, Heterothripidae). Zootaxa 2562: 45–56.

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Pereyra V & Cavalleri A (2012) The genus Heterothrips (Thysanoptera) in Brazil, with an identification key and seven new species. Zootaxa 3237: 1–23.


Publicado em: 27/01/2018
Postado por: Adriano

Galeria de fotos :

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2022

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites