Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Arachisothrips millsi

Arachisothrips millsi Stannard, 1952: 330

Referência: Stannard LJ (1952). Peanut-winged thrips (Thysanoptera: Thripidae). Annals of the Entomological Society of America 45: 327–330.

 

Família

Thripidae, Panchaetothripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Arachisothrips_millsi

 

Diagnose

Corpo castanho a castanho-amarelado, pernas mais claras que o corpo; segmento antenal I da mesma cor que a cabeça, II–VIII castanhos; asas anteriores com uma faixa escura medialmente. Antena com 8 segmentos, III & IV com um cone sensorial simples cada, VII–VIII alongados. Cabeça transversa, fortemente reticulada, ocelos presentes, cone bucal curto e arredondado. Pronoto transverso, sem cerdas longas. Endofurca mesotorácica sem espínula, endofurca metatorácica com um longo par de braços curvos se estendendo até o mesotórax. Metanoto irregularmente reticulado, sensilas campaniformes presentes, um par de cerdas longas medialmente. Tarsos com um segmento. Asas anteriores infladas (abauladas) e reticuladas; primeira e segunda fileiras de cerdas incompletas e com cerdas pouco visíveis. Tergitos abdominais fracamente reticulados, com microtríquias esparsas lateralmente; craspeda ausente. Esternitos reticulados, sem craspeda. Ambos os sexos alados.

 

Macho semelhante à fêmea, sem ocelos; parte achatada na região apical das asas anteriores mais curta que nas fêmeas; franja posterior de cerdas ausente; esternitos VII–VIII com uma larga placa porosa transversal.

 

Variação intraespecífica

Segmentos antenais III & IV às vezes castanho-amarelados. Sensilas campaniformes do metanoto às vezes ausentes.

 

Informações do gênero e espécies similares

O gênero Arachisothrips inclui duas outras espécies: A. latipennis e A. seticornis, todas descritas dos Neotrópicos. Elas se destacam por possuir asas anteriores infladas (abauladas) e com reticulação hexagonal. A. millsi não possui um par de cerdas na porção anterior do metanoto, que são bem desenvolvidas em A. latipennis. Porém, a diferenciação de A. seticornis precisa de mais estudos (Mound & Marullo 1996).

 

Distribuição no mundo

Descrita da Jamaica e também registrada para o Brasil, Costa Rica e México.

 

Distribuição no Brasil

Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Desconhecida, geralmente coletada em folhiço e musgos.

 

Importância econômica

Sem registros.

 

Referências sugeridas

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Wilson TH (1975) A monograph of the subfamily Panchaetothripinae (Thysanoptera: Thripidae). Memoirs of the American Entomological Institute 23: 1–354.


Publicado em: 23/12/2016
Postado por: Adriano

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2018

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites