Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Caliothrips insularis

Caliothrips insularis (Hood, 1928: 234).

Referência original: Hood JD (1928) New neotropical Thysanoptera collected by C.B. Williams II. Psyche 34: 230–246.

 

Família

Thripidae, Panchaetothripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Caliothrips_insularis

 

Diagnose

Corpo castanho-escuro; tarsos e ápices das tíbias amarelos; segmentos antenais I–II & VI–VIII castanhos, III–V amarelos mas levemente escurecidos na metade apical; asas anteriores com coloração em faixas, com base castanha; uma faixa sub-basal branca seguida por uma faixa castanha; com uma pequena região subapical branca e ápice castanho-escuro. Antena com 8 segmentos, III & IV com um longo cone sensorial bifurcado em cada. Pronoto sem cerdas longas, retículas medianas irregulares próximas à margem anterior, com muitas marcas internas na forma de linhas curtas e pontos em relevo. Endofurca mesotorácica sem espínula; endofurca metatorácica com um par de braços longos e curvos, estendendo-se ao mesotórax. Metanoto com reticulações irregulares, sensilas campaniformes ausentes, um par de cerdas bem desenvolvidas próximas à margem anterior. Tarso com um segmento; coxas posteriores com um apódema interno enrolado. Asas anteriores com fileiras de cerdas em ambas as venações incompletas. Tergitos II–VIII com grandes retículas poligonais nos terços laterais; reticulações se estendendo até a metade anteromedial dos tergitos; VIII com craspeda medialmente, mas com microtríquias em forma de dentes lateralmente; X com fenda mediana incompleta. Esternitos com reticulação transversal.

 

Macho não foi estudado.

 

Variação intraespecífica

Área pequena subapical mais clara nas asas anteriores com comprimento variável.

 

Informações do gênero e espécies similares

O gênero Caliothrips inclui 21 espécies, das quais cerca de metade são descritas da América do Norte. Essas espécies possuem marcas em forma de rugosidades ou pontos dentro das retículas de sua esculturação corporal. A furca metatorácica é distintiva, com um par de longos braços curvados se estendendo ao mesotórax. Caliothrips insularis é semelhante em cor e esculturação a C. fasciatus, mas a banda subapical mais clara nas asas anteriores não é claramente definida. Nakahara (1991) também afirmou que C. insularis possui linhas curtas e pontos em relevo nas retículas, enquanto C. fasciatus não possui escultura anteromarginal nos tergitos abdominais III–VIII e as marcas internas do pronoto formam rugosidades vermiformes.

 

Distribuição no mundo

Descrita dos Estados Unidos e registrada para América Central, Venezuela e Brasil..

 

Distribuição no Brasil*

Bahia e São Paulo

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Vive em folhas, geralmente na superfície dorsal. Não há informações disponíveis sobre associações com plantas hospedeiras.

 

Importância econômica

Sem registro.

 

Referências sugeridas

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Nakahara S (1991) Two new species of Caliothrips (Thysanoptera: Thripidae) and a key to the Nearctic species. Journal of the New York Entomological Society 99: 97–103.

Wilson TH (1975) A monograph of the subfamily Panchaetothripinae (Thysanoptera: Thripidae). Memoirs of the American Entomological Institute 23: 1–354.


Publicado em: 23/12/2016
Postado por: Adriano

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2018

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites