Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Charassothrips urospathae

Charassothrips urospathae Hood, 1954: 200.

Referência original: Hood JD (1954) Brasilian Thysanoptera V. Proceedings of the Biological Society of Washington 67: 195–214.

 

Família

Thripidae, Thripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Charassothrips_urospathae

 

Diagnose

Corpo castanho; todos os tarsos e tíbias anteriores amarelos, tíbias medianas e posteriores majoritariamente castanhas; segmentos antenais castanhos, exceto pelo III, que é amarelo; asas anteriores fortemente escurecidas mas terço basal mais claro. Cabeça fortemente reticulada, com três pares de cerdas ocelares diminutas; retículas com fracas marcas internas. Antena com 8 segmentos, III & IV com cones sensoriais bifurcados. Pronoto sem cerdas longas; fortemente reticulado, retículas com fracas marcas internas. Espínula mesotorácica presente; endofurca metatorácica sem espínula. Metanoto com reticulação poligonal; sensilas campaniformes ausentes; par de cerdas medianas localizadas atrás da margem anterior. Primeira fileira de cerdas das asas anteriores incompleta, segunda fileira completa. Terços laterais dos tergitos abdominais I–VIII com várias linhas transversais de esculturação com microtríquias; craspeda completo, denteado lateralmente mas liso medialmente; II–VI com um par de cerdas medianas curtas e distantes entre si; VIII com um pente posteromarginal de microtríquias longas. Esternitos sem cerdas discais, com três pares de cerdas marginais longas ligeiramente à frente da margem posterior. Ambos os sexos macrópteros.

 

Macho com pequena placa porosa na região antecostal do esternito abdominal III.

 

Variação intraespecífica

Sem registro.

 

Informações do gênero e espécies similares

O gênero Charassothrips inclui cinco espécies, todas descritas dos Neotrópicos e com reticulação aparente na cabeça e tórax. Os tergitos abdominais também possuem um craspeda posteromarginal bem desenvolvido. C. urospathae pode ser reconhecida pelo abdômen uniformemente castanho e as cerdas das asas anteriores delgadas e agudas. Goldarazena & Mound (2010) forneceram uma chave para as espécies de Charassothrips do mundo.

 

Distribuição no mundo

Descrita do norte do Brasil, é também registrada na Costa Rica.

 

Distribuição no Brasil*

Pará.

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Adultos foram estudados de inflorescências de Urospatha spp.

 

Importância econômica

Sem registro.

 

Referências sugeridas

Goldarazena A & Mound LA (2010). A new species of Charassothrips Hood from Colombia (Insecta, Thysanoptera, Thripidae) with an updated key to the known species. Journal of Insect Science 10 (70): 1–10.

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.


Publicado em: 23/12/2016
Postado por: Mariana Lindner

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2022

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites