Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Arorathrips fulvus

Arorathrips fulvus (Moulton, 1936: 182).

Referência original: Moulton D (1936) Thysanoptera of the Hawaiian Islands. Proceedings of the Hawaiian Entomological Society 9: 181–188.

 

Família

Thripidae, Thripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Arorathrips_fulvus

 

Diagnose

Corpo castanho-escuro, abdômen mais claro; cabeça, antenas, tórax e pernas castanhos, segmentos abdominais IX–X castanhos; asas anteriores uniformemente escurecidas. Cabeça sem esculturação forte, ligeiramente projetada à frente dos olhos; vértex com 12 a 22 pares de cerdas. Antena com 8 segmentos, III & IV com cones sensoriais simples; segmento antenal I alargado, II assimétrico com a margem lateral externa fortemente projetada. Pronoto trapezoidal, sem reticulações; dois pares de cerdas posteroangulares curtas e conspícuas; cerdas na margem anterior não distintamente maiores que as cerdas discais. Endofurcas meso e metatorácica fracamente desenvolvidas, sem espínula. Coxas anteriores robustas. Metanoto reticulado medialmente; sensilas campaniformes presentes; dois pares de cerdas conspícuas, par mediano localizado atrás da margem anterior. Tarsos com dois segmentos. Primeira e segunda fileiras de cerdas das asas anteriores com poucas cerdas, espaçadas entre si. Tergitos abdominais reticulados, região anterior com várias linhas com muitos tubérculos pequenos; II–VIII com as cerdas do par mediano distantes entre si; VIII com craspeda formado por lóbulos. Esternitos sem cerdas discais ou craspeda; três pares de cerdas posteromarginais longas; ovipositor pequeno. Fêmea macróptera e macho áptero.

 

Machos um pouco mais claros que as fêmeas e não tão bicoloridos; ocelos ausentes; metanoto retangular; esternitos abdominais III–VII com grandes placas porosas circulares.

 

Variação intraespecífica

Coloração do abdômen varia de amarelo a castanho-claro.

 

Informações do gênero e espécies similares

O gênero Arorathrips é originado do Novo Mundo e inclui cerca de 15 espécies, todas com segmento antenal II fortemente assimétrico, e segmentos III & IV com cones sensoriais simples. É intimamente relacionado com o gênero Chirothrips, mas difere por possuir a endofurca mesotorácica reduzida. Arorathrips fulvus pode ser distinguida de outras espécies de Arorathrips registradas no Brasil pela presença de 12–22 pares de cerdas curtas no vértex.

 

Distribuição no mundo

Descrita do Havaí, é também registrada na Argentina e no Brasil.

 

Distribuição no Brasil*

Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Vive em flores de diversas gramíneas. No Brasil, adultos foram encontrados em arroz e Paspalum urvillae (Poaceae).

 

Importância econômica

Sem registros.

 

Referências sugeridas

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Nakahara S & Foottit RG (2012) Review of Chirothrips and related genera (Thysanoptera: Thripidae) of the Americas, with descriptions of one new genus and four new species. Zootaxa 3251: 1–29.


Publicado em: 14/07/2018
Postado por: Adriano

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2018

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites