Os Tripes do Brasil
Identificação, Informações, Novidades

Arorathrips mexicanus

Arorathrips mexicanus (Crawford DL, 1909: 114).

Referência original: Crawford DL (1909) On some Thysanoptera from Mexico and the south. Pomona College Journal of Entomology 1: 109–119.

 

Família

Thripidae, Thripinae

 

Informações sobre nomenclatura

http://thrips.info/wiki/Arorathrips_mexicanus

 

Diagnose

Corpo castanho escuro, incluindo as antenas; tarsos amarelos, tíbias medianas e posteriores castanho-escuras, tíbias anteriores com ápice amarelo; asas anteriores uniformemente escurecidas. Cabeça sem esculturação forte, ligeiramente projetada à frente dos olhos; vértex com três ou quatro pares de cerdas. Antena com 8 segmentos, III & IV com cones sensoriais simples; segmento antenal I alargado, II assimétrico com a margem lateral externa fortemente projetada. Pronoto trapezoidal, sem reticulações; com dois pares de cerdas posteroangulares curtas e conspícuas; cerdas na margem anterior não distintamente maiores que as cerdas discais. Endofurcas meso e metatorácicas fracamente desenvolvidas, sem espínula. Coxas anteriores robustas, tíbias anteriores externamente prolongadas até a metade do segmento tarsal mais distal. Metanoto reticulado medialmente, sensilas campaniformes presentes; dois pares de cerdas conspícuas, par mediano localizado atrás da margem anterior. Tarsos com dois segmentos. Primeira e segunda fileira de cerdas das asas anteriores com poucas cerdas, espaçadas entre si. Tergitos abdominais reticulados, região anterior com várias linhas de tubérculos aparentes; II–VIII com as cerdas do par mediano distantes entre si; VIII com craspeda formado por lóbulos. Esternitos sem cerdas discais ou craspeda; três pares de cerdas posteromarginais longas; ovipositor pequeno. Fêmea macróptera e macho áptero.

 

Machos ápteros, um pouco mais claros que as fêmeas, especialmente no tórax e pernas anteriores, não tão bicoloridos; ocelos ausentes; metanoto retangular; esternitos abdominais III–VII com grandes placas porosas circulares.

 

Variação intraespecífica

Indivíduos recém-emergidos são bicoloridos.

 

Informações do gênero e espécies similares

O gênero Arorathrips é originado do Novo Mundo e inclui cerca de 15 espécies, todas com segmento antenal II fortemente assimétrico, e segmentos III & IV com cones sensoriais simples. É intimamente relacionado com o gênero Chirothrips, mas difere por possuir a endofurca mesotorácica reduzida. Arorathrips mexicanus pode ser distinguida de outras espécies de Arorathrips pelas tíbias anteriores prolongadas lateralmente em volta do tarso e por apresentar poucas cerdas no vértex.

 

Distribuição no mundo

Amplamente distribuída por países tropicais e subtropicais, especialmente nas Américas Central e do Sul.

 

Distribuição no Brasil*

Ampla; Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo.

*Dados da literatura e dos autores

 

História de vida

Vive em flores de diversas gramíneas.

 

Importância econômica

Sem registros.

 

Referências sugeridas

Mound LA & Marullo R (1996) The Thrips of Central and South America: An Introduction. Memoirs on Entomology, International 6: 1–488.

Nakahara S & Foottit RG (2012) Review of Chirothrips and related genera (Thysanoptera: Thripidae) of the Americas, with descriptions of one new genus and four new species. Zootaxa 3251: 1–29.


Publicado em: 14/07/2018
Postado por: Adriano

Galeria de fotos:

Atendimento


Brasil, Rio Grande do Sul, Rio Grande

Campus Carreiros: Av. Itália km 8

Bairro Carreiros



(51) 9812-37076


cavalleri_adriano@yahoo.com.br

Curta nossa Fan Page

Thysanoptera © Todos Direitos Reservados 2018

Facebook Instagram Linkedin

Hostche - Criação de Sites